Instituto de Saúde Preventiva

Dicas de Saúde

17/11/2016

Dieta nutricional para pacientes de câncer | O sucesso do tratamento oncológico

Tratamentos para o câncer, como quimioterapia, radioterapia e cirurgias, têm o objetivo de combater a doença, porém, acabam afetando também as células saudáveis do organismo. Uma boa alimentação pode ajudar o  corpo a ter a força que necessita para reconstruir estas células.

Quantidades adequadas de calorias e proteínas são essenciais para o corpo se recuperar, e são necessárias antes, durante e após estes tratamentos, pois eles podem causar o que são conhecidos como “sintomas de impacto nutricional”. Estes sintomas podem interferir com o desejo do paciente de comer bem, podendo ser: feridas na boca, alteração do paladar, falta de apetite, náuseas, vômitos, sentir-se satisfeito antes que você tenha comido o suficiente, dificuldade em engolir, constipação e diarréia.

Se a pessoa com câncer não comer bem, o processo de recuperação pode ser atrasado. Em alguns casos, ingestão inadequada de alimentos pode resultar em desnutrição e aumento da toxicidade do tratamento. Estes efeitos  podem impedir  o paciente de completar o plano de tratamento prescrito conforme o programado e afetar o resultado.

Quando se tem câncer, alimentar-se balanceadamente é ainda mais importante. Podem haver consequências graves se você ignorar as necessidades nutricionais do seu corpo.

A boa alimentação durante o tratamento pode ajudar a manter ou recuperar o peso, a diminuir a toxicidade ao tratamento e, com isso, pode ajudar a controlar alguns efeitos colaterais do tratamento.

Suas necessidades nutricionais não permanecem as mesmas desde o diagnóstico de câncer até a vitória da recuperação, elas vão mudar de acordo com o que seu corpo está passando e o que ele precisa.

As necessidades nutricionais podem mudar, dependendo do tipo e estágio do câncer.
Procure alimentos que sejam fáceis de digerir e relativamente ricos em calorias, como queijo, iogurte, sorvete.

Faça pequenas refeições ou lanches a cada duas horas e prefira os alimentos de melhor sabor para você. Beba muito líquido para ficar hidratado.

Consultar uma nutricionista para desenvolver um plano personalizado  pode ajudar você a gerenciar ou, pelo menos, compensar os sintomas que poderiam impedi-lo de comer.

Lembre-se em que a nutrição também faz parte do seu tratamento. Ela pode fazer uma enorme diferença na sua recuperação, na capacidade do seu organismo para lutar e na quantidade de energia que você tem.

Paciente em risco nutricional podem se beneficiar do uso de um suplemento oral concomitante com a alimentação. Seu médico e a nutricionista são os profissionais de saúde habilitados a fazer esta avaliação e individualizar a dieta de cada paciente.

Consulte seu médico e/ou nutricionista.